ONU pede intervenção na Cisjordânia

O secretário-geral das Nações Unidas, Kofi Annan, pediu hoje ao Conselho de Segurança da entidade - no qual os EUA têm poder de veto - a autorização para a formação e envio de uma força multinacional de paz, considerada por ele "a única forma de pôr fim à violência" no Oriente Médio.De acordo com a proposta de Annan, a força teria quatro objetivos básicos: supervisionar a retirada das tropas israelenses, criar condições de segurança nos territórios para a retomada das atividades econômicas e restaurar a confiança e um ambiente político estável para o reinício das negociações de paz.Annan acrescenta que o envio de um grupo de observadores desarmados não seria conveniente, pois a segurança de seus integrantes não estaria garantida. Perguntado sobre a posição de Washington, Annan disse esperar que "os Estados Unidos tenham um papel construtivo na questão".O negociador palestino Saeb Erekat saudou a iniciativa do secretário-geral como "o único meio possível para conter a agressão israelense". Por seu lado, o porta-voz do governo de Sharon, Avi Panzer, manifestou-se contra a idéia. "No atual contexto, não pensamos que uma presença internacional poderia ser útil", disse. "Não estamos numa situação na qual dois exércitos ou dois países se enfrentam", disse. "De um lado temos aqui um Exército que obedece a lei e, de outro, uma organização terrorista que não duvida em nos atacar e não duvidaria em fazer o mesmo contra uma força internacional".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.