ONU pede mais ajuda para refugiados líbios na Tunísia

O Alto Comissariado da Organização das Nações Unidas (ONU) para Refugiados (Acnur) pediu hoje mais apoio internacional para que a Tunísia possa ajudar os que fogem dos confrontos na Líbia. Mais de 400 mil pessoas de várias nacionalidades fugiram para a Tunísia desde o início da rebelião no país vizinho contra o líder Muamar Kadafi. Atualmente, são 70 mil líbios buscando refúgio no sul do território tunisiano.

AE, Agência Estado

16 de junho de 2011 | 19h44

"Eu quero dizer obrigado ao povo e ao governo da Tunísia por sua hospitalidade e enormes esforços em nome dos refugiados líbios", disse António Guterres, o alto comissário da Acnur, após uma reunião com o ministro de Relações Exteriores Mouldi Kefi.

Em sua segunda viagem à Tunísia em dois meses, Guterres também elogiou o levante popular que derrubou o presidente tunisiano e inspirou outros povos da região. Ele disse que inicialmente ficou desapontado com a falta de apoio mundial ao levante, mas ficou feliz com a promessa de bilhões de dólares em assistência feita pelo Banco Mundial e por outros países do G-8 (oito maiores economias do mundo) em sua última cúpula.

A economia da Tunísia foi seriamente afetada pela queda do turismo desde o levante e pela pressão causada pela chegada de refugiados. Tem ocorrido confrontos na fronteira entre moradores irritados e refugiados.

Guterres disse que visitará a fronteira com a Líbia para atrair a atenção do mundo para a urgência da situação. Sua visita à Tunísia foi parte das comemorações do Dia do Refugiado, celebrado em 20 de junho. As informações são da Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
refugiadosLíbiaTunísiaAcnurONU

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.