Richard Drew/AP
Richard Drew/AP

ONU pede que EUA suspendam embargo a Cuba pelo 21º ano

Dos 193 países que formam a Assembleia-Geral, 188 aprovaram a resolução, que não é de cumprimento obrigatório

Reuters

13 de novembro de 2012 | 18h50

NAÇÕES UNIDAS - A Assembleia-Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) pediu nesta terça-feira, 13, aos Estados Unidos que suspendam seu embargo comercial a Cuba, prática comparada pelo chanceler da ilha comunista a um "genocídio".

Pelo 21º ano consecutivo, a assembleia, composta por 193 países, aprovou a medida por uma expressiva maioria de 188 votos, incluindo alguns importantes aliados de Washington. É um resultado que tem se repetido de forma quase idêntica ao longo dos anos.

Os únicos três votos contrários vieram da própria delegação norte-americana, de Israel e da pequena nação insular de Palau, no Pacífico. As Ilhas Marshall e a Micronésia, também no Pacífico, se abstiveram. A resolução não é de cumprimento obrigatório.

Nos últimos anos, o governo do presidente norte-americano, Barack Obama, atenuou algumas restrições a Cuba, mas disse que novas medidas dependem de contrapartidas de Havana, como a libertação de presos políticos e garantias para os direitos humanos. Mas Obama mantém o embargo comercial em vigor há meio século.

O chanceler cubano, Bruno Rodríguez, disse que a eleição de Obama, em 2008, havia despertado a expectativa de derrubada do bloqueio econômico, mas que "a realidade é que os últimos quatro anos foram caracterizados pelo persistente endurecimento" do embargo.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUCubaEUAembargos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.