ONU pede que governo volte atrás na censura

A missão da ONU no Afeganistão exortou ontem o governo afegão a voltar atrás na censura da cobertura dos ataques terroristas e do conflito armado durante a eleição de hoje para presidente e conselhos provinciais. Por meio de dois decretos na terça-feira, o governo determinou aos meios de comunicação que não noticiem atos de violência entre as 6 horas e as 20 horas de hoje (22h30 de ontem e 12h30 de hoje em Brasília). O objetivo é evitar que os eleitores sintam medo de ir votar."As pessoas precisam de acesso à informação, não só no dia da votação, mas também depois", disse à agência ?Reuters? Aleem Siddique, porta-voz da missão da ONU em Cabul. "A credibilidade das eleições está ligada ao acesso à informação." Ele acrescentou que a Constituição afegã garante a liberdade de expressão e "não está clara a base legal" dos decretos. O país tem hoje 300 jornais e 18 tevês - a maioria privada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.