AFP PHOTO / JOHN THYS
AFP PHOTO / JOHN THYS

ONU pede que indignação contra atentados não se volte para refugiados

Para dirigente das Nações Unidas, imigrantes fogem porque não têm opção, além de terem que lidar com a pobreza e a violência

O Estado de S. Paulo

22 de março de 2016 | 15h35

DUBAI, EMIRADOS ÁRABES UNIDOS - A indignação contra os atentados terroristas em Bruxelas ocorridos nesta terça-feira, 22, não deve se voltar contra os refugiados que chegam ao continente europeu, afirmou o coordenador do escritório das Nações Unidas para os refugiados do Oriente Médio e Norte da África, Amin Awad.

Segundo ele, os imigrantes fogem porque não têm opção, ficaram mais pobres e enfrentavam diariamente atos de violência. "Aglomerá-los e dizer que eles são um risco à segurança é um erro", afirmou.

O dirigente lembrou que um dos principais desafios para a agência de refugiados da ONU, a UNHCR, é a profunda falta de recursos para lidar com a maior crise migratória da Europa desde a Segunda Guerra Mundial. Awad criticou a resposta política mundial à crise, que considera "falha".

"O mundo está falhando com o povo sírio", disse. “Não há um plano B. Há apenas um plano A.”  /ASSOCIATED PRESS

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.