ONU pede que Iraque suspenda execuções de condenados

O novo secretário-geral da ONU, o sul-coreano Ban Ki-moon, pediu ao Governo do Iraque que suspenda as execuções de condenados à morte, após a polêmica que surgiu depois do enforcamento do ex-presidente iraquiano Saddam Hussein.Ban "solicitou encarecidamente ao Governo iraquiano que suspenda as execuções daqueles cuja condenação à morte pudessem ser executada em um futuro próximo", segundo comunicado da ONU divulgado na noite deste sábado.O chefe de Gabinete de Ban, Vijay Nambiar, em carta ao representante iraquiano nas Nações Unidas, reiterou no sábado a postura do secretário-geral, que já tinha apoiado o pedido da alta comissária dos Direitos Humanos da ONU, Louise Arbour, de não executar os outros condenados pelo Tribunal iraquiano junto com Saddam Hussein.Esta carta "reflete também a opinião do secretário-geral de que todos os membros da comunidade internacional devem respeitar todos os aspectos do direito humanitário internacional e dos direitos humanos".Junto a Saddam foram condenados a morrer na forca dois dos homens fortes de seu regime: Barzan al-Tikriti, meio-irmão do ex-ditador, e Awad Hamad al-Bandar, ex-chefe do tribunal revolucionário iraquiano que ordenou a execução de 148 xiitas em 1982.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.