ONU pede que Turquia mantenha comunicação com a Síria

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, pediu nesta quarta-feira à Turquia que mantenha abertos todos os canais de comunicação com o governo sírio, depois da morte de cinco pessoas em uma cidade turca atingida por um morteiro disparado da Síria.

LOUIS CHARBONNEAU E MICHELLE NICHOLS, Reuters

03 de outubro de 2012 | 19h45

A Turquia disse ter atingido alvos dentro da Síria nesta quarta-feira em resposta ao ataque, e o embaixador britânico na ONU, Mark Lyall Grant, considerou a situação "muito preocupante". Ele disse que a crise foi citada de passagem durante uma reunião do Conselho de Segurança dedicada a outros países.

O porta-voz da ONU, Martin Nesirky, disse a jornalistas que Ban conversou com o chanceler turco, Ahmet Davutoglu, e "encorajou o ministro a manter abertos todos os canais de comunicação com as autoridades sírias, com vistas a reduzir qualquer tensão que possa se acumular em decorrência do incidente".

Essa declaração foi feita antes de a Turquia anunciar que havia atingido alvos dentro da Síria.

Numa segunda nota, divulgada logo depois do anúncio turco, Ban pediu ao governo sírio que respeite a integridade territorial dos seus vizinhos e alertou que o conflito na Síria, iniciado há 18 meses, está cada vez mais afetando outros países na região.

"O secretário-geral pede ao governo sírio para que respeite plenamente a integridade territorial dos seus vizinhos, e também que acabe com a violência contra o povo sírio", disse a assessoria de imprensa de Ban em nota.

"Os incidentes de hoje, em que disparos da Síria atingiram uma cidade turca, voltaram a demonstrar como o conflito na Síria está ameaçando não só a segurança do povo sírio, mas também causando crescente mal aos seus vizinhos."

A nota pede a todos os lados no conflito sírio para que trabalhem por uma solução pacífica para a crise.

Questionado sobre o incidente na fronteira, Lyall Grant disse a jornalistas: "É muito preocupante, e isso foi abordado e discutido rapidamente no Conselho nessa tarde."

Ele acrescentou que o Conselho está agora esperando uma carta da Turquia sobre o incidente, antes de considerar medidas possíveis.

O Conselho, que reúne 15 membros, já estava reunido para discutir outras questões quando a Turquia anunciou que havia atingido alvos na Síria.

Essa é a mais perigosa escalada na fronteira desde o início da rebelião síria, que começou como uma série de protestos contra o governo de Bashar al-Assad e deu lugar posteriormente a uma guerra civil.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUTURQUIASIRIACOMUNICA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.