ONU pede que UE reveja política de refugiados da Síria

O Alto Comissário das Nações Unidas para Refugiados (Acnur) pediu nesta quarta-feira que a União Europeia (UE) reveja sua política para refugiados vindos da Síria. A agência alertou que o número de mortes causadas por acidentes no mar podem aumentar com a chegada do inverno.

Estadão Conteúdo

08 de outubro de 2014 | 17h41

Representantes da ONU afirmaram que mais de 3.000 pessoas à procura de abrigo morreram tentando atravessar o Mediterrâneo neste ano. Eles encorajaram a UE a fornecer portos para recepção e a receber pedidos de asilo entre membros dos países. A Acnur também pediu que o bloco econômico envie ajuda emergencial para a Grécia, Itália e Malta para lidar com o grande número de viagens marítimas ilegais.

A Grécia é o maior ponto de trânsito para imigrantes ilegais na Europa com dezenas de ilhas próximas da costa da Turquia. Refugiados sírios que chegam à Grécia são frequentemente enviados a abrigos temporários em escolas ou igrejas.

"Mesmo com a maior boa vontade do mundo, o número de pessoas vindas é muito grande para que as autoridades consigam lidar", afirmou Giorgos Tsarbopoulos, chefe do escritório da Acnur na Grécia. "Deveria haver opções legais de asilo, com vistos humanitários e programas de trabalho para refugiados", acrescentou.

Autoridades esperam que o número de imigrantes ilegais triplique neste ano, em relação à 2013, com cerca de dois terços do tráfego ilegal vindo da Síria. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
SíriaONUrefugiados

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.