ONU pede US$ 543 mi para refugiados do Paquistão

A Organização das Nações Unidas (ONU) pediu hoje US$ 543 milhões em contribuições da comunidade internacional para aliviar o "sofrimento incrível" de cerca de 2 milhões de refugiados do Paquistão. O número de deslocamentos subiu bastante no país, com a recente ofensiva entre forças do governo e rebeldes do Taleban no Vale do Swat. A ONU afirma que o dinheiro é necessário com urgência para financiar 165 projetos de agências da própria entidade e de grupos de ajuda humanitária, que buscam auxiliar os civis que deixaram suas casas pelos conflitos no noroeste do país.

AE-AP, Agencia Estado

22 de maio de 2009 | 09h57

"A escala desse deslocamento é extraordinária em tamanho e velocidade e causou sofrimento incrível", afirmou em comunicado Martin Mogwanja, coordenador humanitário das Nações Unidas no Paquistão. "Pedimos o generoso apoio da comunidade internacional." Estima-se que 1,9 milhão de pessoas fugiram dos combates no Swat e de dois distritos vizinhos desde que o Exército lançou, no mês passado, uma ofensiva para frear o avanço do Taleban até a capital, Islamabad.

Mais de 160 mil pessoas estão desalojadas em campos ao sul da zona de combates. O restante está em casas de parentes e amigos. O governo afirmou ontem que doadores internacionais já comprometeram US$ 224 milhões para ajudar os desalojados. O Paquistão, que depende muito de assistência estrangeira, comprometeu US$ 100 milhões para essas pessoas.

Tudo o que sabemos sobre:
ONUPaquistãorefugiados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.