ONU pede US$ 8,4 bi em ajuda humanitária para Síria e região

Ajuda é necessária com urgência para oferecer socorro a 18 milhões de pessoas e países e comunidades que lutam para acolhê-las

O Estado de S. Paulo

18 de dezembro de 2014 | 15h57

A Organização das Nações Unidas (ONU) lançou seu maior apelo humanitário da história em favor da Síria nesta quinta-feira, 18, solicitando US$ 8,4 bilhões depois de só obter 46% do financiamento que pediu em 2014.

A ajuda é necessária com urgência para oferecer socorro a 18 milhões de pessoas na Síria e espalhadas pela região, assim como em países e comunidades que lutam para acolhê-las, disseram autoridades da ONU em uma reunião de doadores na Alemanha.

Cerca de 200 mil pessoas morreram e quase metade da população síria foi desabrigada pelo conflito, que começou como um movimento de protesto em 2011 mas degenerou em uma guerra civil. O número de pessoas precisando de auxílio humanitário aumentou em 2,9 milhões em meros 10 meses.

“Precisamos de uma nova arquitetura de ajuda”, afirmou o alto comissário das Nações Unidas para Refugiados, Antonio Guterres.“A guerra da Síria ainda está escalando, e a situação humanitária está se prolongando. Os refugiados e desabrigados internos esgotaram suas economias e recursos e os países que os acolhem estão no seu limite”.

Vizinhos sírios como Líbano, Turquia, Jordânia e Iraque vêm reduzindo intensamente o número de refugiados sírios que permitem que cruzem suas fronteiras, já que não conseguem mais arcar com a afluência, de acordo com agências humanitárias.

A ONU solicitou US$ 2,28 bilhões para ajuda aos sírios dentro do país em 2014, mas recebeu apenas 46% do montante. Também pediu US$ 3,74 bilhões para os refugiados e só recebeu 57% desta soma. / REUTERS

Mais conteúdo sobre:
ONUSíriaajuda humanitária

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.