ONU pode ter reunião sobre violação dos direitos humanos

A Organização das Nações Unidas (ONU) poderá realizar, nesta quarta-feira em Genebra, uma sessão especial para tratar exclusivamente do conflito na Palestina. A proposta foi feita nesta terça-feira por diplomatas árabes e a decisão sobre a sessão especial será tomada pela Comissão de Direitos Humanos no começo da manhã de amanhã."O objetivo da sessão será debater de que forma a ONU poderá responder às violações aos direitos humanos na região", explicou um funcionário da ONU.Enquanto a decisão sobre uma reunião para tratar do conflito no Oriente Médio não é tomada, a Alta Comissária de Direitos Humanos da ONU, Mary Robinson, defendeu a visita de uma missão internacional à Israel para investigar violações aos direitos humanos nos territórios ocupados. O objetivo da missão seria preparar uma série de recomendações para a proteção de civis, que valeriam tanto ao governo israelense como aos palestinos.Hoje, em um discurso na sede da ONU em Genebra, Mary Robinson alertou que os atos de violência do Exército de Israel passaram dos "limites aceitáveis da decência". "Estamos observando uma situação de total falta de respeito pela leis internacionais", afirmou.Uma das críticas de Mary Robinson é sobre os obstáculos que o Exército de Israel está colocando para que a ajuda humanitária internacional chegue aos palestinos nos territórios ocupados. "Peço que essas dificuldades acabem imediatamente", afirmou.Outra queixa da Alta Comissária é a proibição estabelecida pelo governo de Ariel Sharon para que os jornalistas entrem nas áreas onde Israel estaria ocupando, como Ramallah. "A censura não trará a paz, e apenas levará a mais ignorância, rumores e temor", completou Mary Robinson.Em Ramallah, por exemplo, os sistema de água e eletricidade foram afetados pelo Exército israelense e um quarto dos 100 mil habitantes locais população local já não tem acesso à água potável.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.