REUTERS/Carlos Garcia Rawlins
REUTERS/Carlos Garcia Rawlins

ONU prorroga missão no Haiti por seis meses

Os 15 membros do Conselho de Segurança aceitaram uma proposta do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, para que a operação mantenha até abril do próximo ano o mesmo contingente

O Estado de S. Paulo

13 de outubro de 2016 | 20h02

NAÇÕES UNIDAS - O Conselho de Segurança da ONU prorrogou nesta quinta-feira, 13, por mais seis meses, a missão da organização no Haiti (Minustah), sob comando do Brasil, sem modificações em seu mandato.

Os 15 membros do Conselho de Segurança aceitaram uma proposta do secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon, para que a operação mantenha até abril do próximo ano o mesmo contingente. 

A Minustah poderá contar assim com um máximo de 2.370 soldados e 2.601 policiais, enquanto a ONU estudará durante esse período uma possível retirada da missão, medida defendida por alguns países.

A prorrogação aprovada hoje chega enquanto o Haiti começa a se recuperar da passagem do furacão Matthew, que deixou centenas de mortos e graves danos nas infraestruturas de parte do país.

Entre outras tarefas, a Minustah está atualmente ocupada em garantir a segurança dos comboios de ajuda humanitária, depois do registro de vários incidentes. Segundo dados da ONU, mais de 2 milhões de pessoas foram afetadas pela catástrofe e 1,4 milhão precisam de algum tipo de auxílio.

As Nações Unidas pediram na segunda-feira quase US$ 120 milhões em doações para responder às necessidades mais urgentes no país. Um porta-voz disse hoje que apenas 5% do valor foi recebido.

No próximo sábado, Ban visitará algumas das regiões mais afetadas pel furacão e realizará reuniões com as comunidades afetadas e líderes políticos do Haiti. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.