Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

ONU quer investigação sobre abusos em Gaza e Israel

A mais graduada funcionária da Organização das Nações Unidas (ONU) em relação aos direitos humanos pediu hoje uma investigação independente sobre possíveis crimes de guerra cometidos na Faixa de Gaza e em Israel. A Alta Comissária para os Direitos Humanos Navi Pillay afirmou hoje que os ferimentos causados pelos foguetes do Hamas em civis são inaceitáveis. Porém, ela também disse que Israel deve obedecer a lei humanitária internacional em relação às ações do Hamas.Pillay apontou que os dois lados devem cuidar dos feridos e evitar atingir trabalhadores humanitários, hospitais e ambulâncias. Segundo ela, as violações da lei humanitária internacional podem se transformar em crimes de guerra que serão imputados a indivíduos. As declarações de Pillay foram feitas no início de um encontro emergencial do Conselho de Direitos Humanos da ONU, sediado em Genebra, para discutir a situação na Faixa de Gaza.Ainda hoje, o jornal britânico Guardian publicou em sua edição impressa que a equipe do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, está preparada para abandonar a doutrina do presidente George W. Bush de isolar o Hamas. Obama estaria disposto a estabelecer um canal de comunicação com a organização islâmica, segundo o diário, que atribui a informação a fontes próximas da equipe de transição.O Guardian afirma que não há expectativa de que Obama aprove negociações diplomáticas diretas com o Hamas, ao menos em breve. No entanto, o presidente eleito está sendo aconselhado por assessores a iniciar uma aproximação em níveis inferiores ou mesmo clandestinas. Há também um crescente reconhecimento em Washington de que a política de deixar o Hamas no ostracismo é contraproducente. Com informações da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.