ONU quer Síria e Irã nas negociações de paz no Líbano

O enviado da ONU ao Líbano, Terje Roed-Larsen, defende que a Síria e o Irã sejam convidados para cooperar na solução da crise do Líbano, porque sem os dois países, diz, "será muito difícil obter um cessar-fogo", segundo o jornal francês Le Figaro. No entanto, "ainda é muito cedo para dizer se Irã e Síria poderão ser ligados" ao processo, segundo o diplomata norueguês. Ele diz que o secretário-geral da ONU, Kofi Annan "está em contato com todas as partes envolvidas e tem conversado com ospresidentes dos dois países". Roed-Larsen não acha que a conferência internacional de Roma tenha sido um fracasso. "Seria ingenuidade pensar que todos os problemas seriam resolvidos em algumas horas", disse, acrescentando que a situação no Líbano é "muito perigosa". "Não chegamos ainda ao auge das hostilidades. Quem se opõe a um cessar-fogo ainda pode radicalizar o conflito e pôr em risco a segurança de toda a região", alertou. Para Roed-Larsen, um cessar-fogo só será durável se tiver uma base política. Ele destacou como pontos positivos o fato de em Roma terem sido criados os corredores humanitários e começarem os preparativos para organizar uma forçamultinacional sob comando da ONU.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.