ONU quer verificar cerca de 700 locais no Iraque

O chefe dos inspetores da ONU de armasde destruição em massa, Hans Blix, indicou que verificará cerca de 700 instalações iraquianas sem aviso prévio, declarou em entrevista ao diário francês Le Monde.Nesta sexta-feira, pouco depois de partir de Nova York em direção a Bagdá - com uma parada emParis no domingo para conversações com o chanceler francês, Dominique Vileppin, Blix insistiu em que o Iraque tem de serresponsável na declaração que terá de fazer, listando todos os seus programas de armas de extermínio.A entrega dessa relação, no dia 8, é a próxima etapa do processo de verificação de seuarsenal aprovado pelo Conselho de Segurança da ONU."A declaração do Iraque é um documento muito importante, e esperamos que eles o encarem com seriedade", frisou Blix, confirmando que as inspeções devem começar no dia 27.De acordo com a Resolução 1.411, ele terá de reportar o resultado das inspeções num prazo de 60 dias a contar dessa data. Ele chegará a Bagdá na segunda-feira, junto com o chefe daAgência Internacional de Energia Atômica, Mohamed El-Baradei, encarregado da checagem de instalações nucleares.Um primeiro grupo de inspetores, chefiado pelo australiano Bill Jolley - um funcionário do setor de Defesa da Austrália -, irá com eles. Segundo ele, se o Iraque mantiver sua posição de que nãopossui armas de extermínio, os países que sustentam ter provas do contrário terão de trazê-las a público. Os EUA acusam o Iraque de ter-se rearmado nos últimos anos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.