ONU reconhece vitória de candidato da oposição na Costa do Marfim

Alassane Ouattara trabalha em um hotel protegido pelas forças de paz; Laurent Gbagbo se recusa a deixar o poder.

BBC Brasil, BBC

09 de dezembro de 2010 | 10h06

Soldados da ONU montam guarda no hotel onde está Alassane Ouattara

O Conselho de Segurança da ONU declarou nesta quinta-feira, em comunicado formal, que o candidato da oposição à presidência da Costa do Marfim Alassane Ouattara venceu a eleição.

O comunicado acontece após três dias de debate na organização, nos quais a Rússia manifestou preocupações de que a ONU estivesse ultrapassando os limites de suas atribuições.

Mesmo sob pressão internacional, o presidente em exercício no país, Laurent Gbagbo, se recusa a deixar o poder.

Ouattara trabalha de um quarto de hotel de luxo em Abidjan, a maior cidade do país, protegido por soldados da força de paz da ONU.

No comunicado, o Conselho de Segurança disse condenar "nos termos mais fortes" qualquer tentativa de "subverter a vontade do povo" na Costa do Marfim.

A nota disse ainda que a decisão de apoiar o resultado das eleições seguiu a do bloco regional africano Ecowas, que suspendeu o país depois que o presidente Gbagbo decidiu permanecer no governo.

A correspondente da BBC na ONU em Nova York Barbara Plett diz que atrelar a decisão de apoiar Ouattara ao bloco africano pode ter sido uma concessão à Rússia, que demonstrou receio de que apoiar um candidato seria uma extrapolação das atribuições da ONU.

No entanto, a representante dos Estados Unidos Susan Rice disse que a missão da ONU na Costa do Marfim tem o poder de certificar uma eleição por causa de um tratado de paz assinado após a guerra civil de 2002 no país.

O apoio do Conselho de Segurança a Ouattara deixa Laurent Gbagbo quase sem apoio na comunidade internacional, segundo a correspondente da BBC.

Em Abidjan, os dois candidatos tem seus próprios gabinetes de governo, aumentando a tensão no país.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.