ONU reduz equipe humanitária no Iraque

As agências de serviços humanitários ligadas à Organização das Nações Unidas (ONU) retiraram cerca de 450 dos 900 funcionários e voluntários estrangeiros que mantinham no Iraque. A informação é de um funcionário das Nações Unidas na capital iraquiana. Segundo esse funcionário, a redução do pessoal tem como objetivo facilitar uma retirada total, no caso de guerra."Não se trata de uma retirada", dizia Marie Okabe, porta-voz da ONU em Bagdá, numa aparente tentativa de reduzir a importância da iniciativa. "Nossa equipe, as centenas de pessoas que estão aqui, trabalha com capacidade total", garantiu.Formalmente, alguns funcionários foram enviados para fazer cursos fora do Iraque, outros saíram em férias e alguns foram transferidos para projetos em países vizinhos."Ter que retirar mil pessoas de repente seria complicado. Retirar 400 pessoas é menos complicado", disse o funcionário que revelou a retirada.As equipes de inspetores de armamentos da ONU não foram afetadas pela redução de pessoal.A redução de quadros aplica-se a todas as regiões do Iraque, não apenas a Bagdá. As agências da ONU afetadas foram o Unicef, o Programa Mundial de Alimentação e o Programa de Desenvolvimento da ONU.As agências humanitárias das Nações Unidas mantêm uma importante presença no país desde o fim da Guerra do Golfo, em 1991, com o objetivo de reduzir o impacto das sanções imposta pela ONU desde 1990.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.