ONU reduzirá doação de alimentos no sul da África

Milhões de pessoas do sul do continente africano terão menos para comer nos próximos meses. O Programa Mundial de Alimentação, promovido pela ONU, avisa que, por falta de recursos, terá de reduzir o envio de alimentos para a região. Dos US$ 404 milhões requisitados pelo organismo em outubro, foram doados US$ 10 milhões, 2,5% do valor total e quantia insuficiente para combater a fome.Nos últimos seis meses, a agência vem reduzindo cada vez mais o envio de alimentos para 2,8 milhões de pessoas em países como Lesoto, Moçambique e Zâmbia. O Programa de Alimentação foi obrigado a obter empréstimos de US$ 12 milhões para não acabar completamente com a ajuda humanitária. "Haverá sérias conseqüências para a saúde se as pessoas tiverem uma redução em sua alimentação", disse Mike Sackett, diretor regional do Programa Mundial de Alimentação para o sul da África."A época de seca, que dura de janeiro a março, será ainda mais dura se tivermos que cortar a alimentação, caso não consigamos doações em dinheiro imediatamente", declarou. Segundo ele, alimentos serão enviados para o Lesoto no fim de janeiro e, para outros países da região, nas semanas seguintes. No primeiro trimestre de 2005, a ONU precisará de US$ 63 milhões para levar provisões para cinco países da região.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.