ONU renova mandato de força de paz no Timor Leste

O Conselho de Segurança daOrganização das Nações Unidas (ONU) prorrogou em mais um ano omandato da missão de paz no Timor Leste, alegando que assituações de segurança e humanitária do país permanecemfrágeis. A missão de paz no Timor Leste, chamada de UNMIT, tem aautorização de envio de 1.608 policiais e cerca de 36militares. O mandato, que venceria na terça-feira, foiprorrogado até 26 de fevereiro de 2009. A resolução, elaborada pela África do Sul, foi aprovada porunanimidade no Conselho e reitera a condenação aos atentadoscontra o presidente do Timor Leste e vencedor do Prêmio Nobelda Paz José Ramos-Horta há duas semanas. A resolução do conselho de 15 membros também afirma que "assituações política, de segurança, social e humanitária no TimorLeste permanecem frágeis" e faz um apelo a todas as partesinteressadas no país que se afastem da violência e busquem odiálogo pacífico para resolver todas as divergências. O documento também pede aos governos que continuemtrabalhando com a UNMIT numa revisão do setor de segurança dopaís asiático e de suas futuras necessidades de segurança. Ramos-Horta foi baleado e gravemente ferido em sua casa nacapital Dili, numa tentativa de assassinato por soldadosrebeldes em 11 de fevereiro. No mesmo dia, o primeiro-ministrotimorense, Xanana Gusmão, escapou ileso de um outro atentadoque o tinha como alvo. A ex-colônia portuguesa conquistou independência total em2002, após uma votação patrocinada pela ONU em 1999, colocandofim a duas décadas de ocupação indonésia. (Reportagem de Louis Charbonneau)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.