ONU renova presença da missão de paz no Haiti

Por unanimidade, o Conselho de Segurança da ONU renovou segunda-feira o mandato da missão de paz no Haiti, comandada pelo Brasil, até 1º de junho de 2005. O secretário-geral Kofi Annan havia recomendado a renovação por 18 meses. De acordo com o conselho, ?a situação no Haiti continua sendo uma ameaça à paz internacional e à segurança da região?, bem como representa um desafio à estabilidade política, social e econômica da nação Em fevereiro, uma rebelião de três semanas culminou com a fuga do presidente Jean-Bertrand Aristide e com a chegada de um força de paz da ONU, encabeçada pelos Estados Unidos que, em junho, foi substituída por um contingente dirigido pelo Brasil. Apesar da presença internacional, os rebeldes e ex-soldados se negam a abandonar postos da polícia e a entregar as armas, sob o argumento de que é necessário estabilizar o país até que o governo reorganize o exército e a polícia contrate mais agentes.O Conselho de Segurança condenou todos os atos de violência e a intenção de grupos armados de realizar funções não autorizadas, como agentes de ordem no país, e reiterou a necessidade urgente de desmobilização e reintegração na sociedade dos combatentes. ?A reconciliação política e a reconstrução continuam sendo a chave para a estabilidade e a segurança do Haiti?, insistem os conselheiros da ONU.O governo provisório do Haiti planeja realizar eleições gerais em novembro do ano que vem, e empossar o novo presidente em 7 de fevereiro de 2006.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.