ONU renova proteção ao erário do Governo iraquiano

A resolução apresentada pelos Estados Unidos recebeu apoio unânime dos 15 membros do principal órgão das Nações Unidas

EFE

23 de dezembro de 2008 | 00h56

O Conselho de Segurança (CS) da ONU renovou nesta segunda-feira a proteção temporária concedida ao erário do Governo iraquiano e que evita que seus fundos possam ser reivindicados por vítimas e credores internacionais do antigo regime de Saddam Hussein. A resolução apresentada pelos Estados Unidos a pedido do Governo iraquiano recebeu apoio unânime dos 15 membros do principal órgão das Nações Unidas. O texto estende por mais um ano a proteção outorgada aos recursos financeiros iraquianos na resolução que autorizou em 2003 a presença de forças multinacionais no Iraque depois da queda de Hussein. Bagdá temia que o vencimento no próximo dia 31 do mandato das forças multinacionais deixasse seus bens financeiros desprotegidos. "O Iraque necessita de proteção a seus bens em momentos como o atual, cruciais para o país", assegurou o ministro de Assuntos Exteriores iraquiano, Hoshiar Zebari. A resolução adotada pelo CS estende até 31 de dezembro de 2009 o Fundo de Desenvolvimento para o Iraque, em que são depositadas as receitas obtidas pela venda no exterior de sua produção de gás e petróleo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.