ONU retira apoio ao Exército do Congo em ofensiva contra rebeldes

A Organização das Nações Unidas (ONU) retirou formalmente o apoio à ofensiva realizada pelo Exército do Congo contra um grupo rebelde. A medida foi tomada após dois generais envolvidos em casos de violações de direitos humanos serem escolhidos para liderar a operação.

Estadão Conteúdo

14 de fevereiro de 2015 | 08h42

A ONU advertiu o governo do Congo sobre os dois generais, afirmando que eles estão envolvidos em casos de violação dos direitos humanos e deveriam ser substituídos para que a entidade apoiasse a ofensiva. O governo do país tinha um prazo de duas semanas para a retirada dos generais, mas o período expirou, de acordo com representantes da ONU.

Martin Kobler, enviado da organização, afirmou que o fim do movimento rebelde no Congo seria "um evento importante que alteraria a segurança" na região. As tropas da ONU no país, que contam com 19.500 soldados, continuarão a apoiar outras operações militares do Congo. Fonte: Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
ONUCongoviolência

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.