ONU sobreviverá a veto, diz Annan

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Kofi Annan, declarou que um eventual veto da França a uma resolução sobre o Iraque - apresentada por Estados Unidos, Grã-Bretanha e Espanha - não representará o fim da entidade.A declaração foi publicada pela agência de notícias holandesa ANP. "As Nações Unidas continuarão sendo tão importantes como são hoje", disse Annan após uma reunião com o primeiro-ministro da Holanda, Jan Peter Balkenende.Annan lembrou que os membros permanentes do Conselho de Segurança da ONU (China, EUA, Grã-Bretanha, França e Rússia) têm direito ao veto e "podem agir da forma que acreditarem ser melhor"."Um veto não é a melhor coisa para se manter a unidade, mas há precedentes", recordou Annan em Haia, onde participou hoje da posse dos membros do Tribunal Penal Internacional permanente.

Agencia Estado,

11 de março de 2003 | 18h39

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.