Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

ONU tem de forçar a criação de um Estado Palestino, diz presidente Lula

Para brasileiro, entidade criou o Estado de Israel e deve fazer o mesmo para os árabes

Leonardo Goy, da Agência Estado

31 de março de 2010 | 14h02

BRASÍLIA - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva defendeu mais uma vez a criação do Estado Palestino e disse que a Organização das Nações Unidas (ONU) deve se empenhar em criar a república árabe no Oriente Médio.

 

"As Nações Unidas criaram o Estado de Israel, tem de forçar para criar o Estado Palestino", afirmou o presidente no discurso de posse dos novos ministros. Lula disse que o Brasil pode ter um papel importante nas negociações entre israelenses e palestinos e disse que "se pudessem, os EUA já teriam resolvido".

Para Lula, porém, não há como resolver a questão se as partes em conflito não derem início às negociações. "Quem está conversando com o Irã, com o Hamas e com Hezbollah?", indagouque considera o Brasil um bom negociador, por ser um país pacifico "amigo de todos".

O presidente reiterou que há 15 anos o Brasil briga, "não só em seu governo", para que haja mudanças na ONU e haja mais "centros de decisão". O Brasil pleiteia desde o governo passado uma vaga permanente no Conselho de Segurança da ONU, órgão máximo da entidade.

Lula negou que em sua recente visita a Israel tenha descumprido o protocolo ao não visitar o túmulo do fundador do sionismo, Theodor Herzl. "Ninguém pediu para visitar o túmulo, mas os jornais daqui ficaram incomodados, por não visitar um lugar que nem Israel pediu", disse o presidente.

 

Naquela ocasião, porém, o ministro de Relações Exteriores de Israel, Avigdor Lieberman, confirmou que boicotou uma reunião com o presidente Lula pelo fato de ter se negado a visitar o túmulo do fundador do movimento sionista.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaIsraelpalestinosONUOriente Médio

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.