REUTERS/Christian Veron
REUTERS/Christian Veron

ONU, UE e Vaticano condenam escalada de violência na Venezuela

Obviamente nos opomos com firmeza a qualquer tipo de violência em qualquer lugar, diz porta-voz das Nações Unidas

O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2017 | 15h20

NOVA YORK - A ONU, a União Europeia e o Vaticano rechaçaram nesta quarta-feira, 28, qualquer tipo de violência na Venezuela e condenaram os episódio de quarta-feira no Tribunal Supremo de Justiça (TSJ) e na Assembleia Nacional. 

"Obviamente nos opomos com firmeza a qualquer tipo de violência em qualquer lugar", disse o porta-voz da ONU Stéphane Dujarric. "A ONU acompanha de perto a crise na Venezuela."

A União Europeia pediu o fim da violência na Venezuela e que atores políticos se abstenham de iniciativas que polarizem ainda mais a crise. O bloco lamentou a violência e a repressão que há três meses atinge a população. 

"A violência só aprofundará as divisões no país e criará mais obstáculos para solucionar a crise", afirmou em nota a chancelaria europeia. 

Por fim, o secretário de Estado do Vaticano, Pietro Parolin, ao lado da vice-premiê espanhola Soraya Sáenz, manifestaram profunda preocupação pela crise cada vez maior na Venezuela. "Os últimos casos são devastadores", disse a líder espanhola após reunião no Vaticano. / EFE

 

 

Tudo o que sabemos sobre:
VaticanoONUUnião EuropeiaVenezuela

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.