ONU vai averiguar situação humanitária de palestinos

As Nações Unidas enviarão em breve uma missão para averiguar a deterioração da situação humanitária nos territórios palestinos, onde 50% da população depende do recebimento de comida para sobreviver, segundo um enviado da ONU para a região, Terje Roed-Larsen.A menos que Israel facilite o acesso à Faixa de Gaza e Cisjordânia, "a crise pode sair de controle dentro de meses", advertiu. Israel assumiu o controle da maioria das cidades palestinas na Cisjordânia em meados de junho, depois de uma série de atentados suicidas a bomba palestinos em Jerusalém. O Estado judeu tem isolado áreas e restringido o movimento de palestinos durante os últimos dois anos de violência.Roed-Larsen classificou a situação de um "dilema maligno", com o aumento da necessidade de segurança de Israel deteriorando a condição de vida dos palestinos. "Cinquenta por cento da população palestina é agora dependente da entrega de comida por parte de agências da ONU, enquanto a subnutrição e doenças provocadas por águas poluídas estão se espalhando", disse. O índice de pobreza alcançou 70% em Gaza e 50% na Cisjordânia, acrescentou.A Autoridade Palestina, que administra áreas palestinas, enfrenta uma crise fiscal, precisando conseguir cerca de US$ 36 milhões para pagar salários este mês. No mês passado, a enviada humanitária da ONU Catherine Bertini, ex-chefe do Programa Mundial de Alimentação da ONU, visitou a Cisjordânia e Faixa de Gaza e disse que a economia palestina "efetivamente entrou em colapso".Roed-Larsen afirmou que a missão da ONU com especialistas de várias agências partirá em breve para a região "a fim de desenvolver um detalhado plano" visando aliviar a crise, e a proposta será apresentada numa reunião de doadores, em nível ministerial, em dezembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.