ONU vai impor embargo de armas à Costa do Marfim

Resolução do Conselho de Segurança das Nações Unidas impondo um embargo imediato na venda de armas para a Costa do Marfim e definindo prazo de um mês para que as facções em guerra no país retomem o processo de paz deverá ser votada - e aprovada - ainda hoje, segundo o embaixador francês Jean-Marc de la Sablière.O documento é uma tentativa de conter a escalada do caos que teve início quando o governo da nação africana lançou uma nova ofensiva contra os rebeldes no norte do país, em 4 de novembro. Três dias depois, o governo bombardeou uma base francesa. Em retaliação, a França destruiu a Força Aérea do país, o que deu origem a uma onda de protestos violentos que levou à retirada de mais de 5.000 estrangeiros da Costa do Marfim.Numa reunião realizada em Abuja, Nigéria, líderes de outros países da África concordaram com um embargo de armas imediato. Cerca de 6.000 soldados da ONU e 4.000 soldados franceses estão estacionados na Costa do Marfim, uma ex-colônia francesa, para supervisionar o processo de paz que se seguiu a uma guerra civil iniciada em 2002. A Costa do Marfim é uma das principais economias da África Ocidental e o maior exportador de cacau do mundo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.