ONU vai investigar uso de mercenários na Líbia

Especialistas em direitos humanos da Organização das Nações Unidas (ONU) vão visitar a Líbia na semana que vem para investigar o uso de mercenários no combate ao levante que causou a queda da ditadura de Muamar Kadafi.

AE, Agência Estado

18 Maio 2012 | 09h37

Faiza Patel, chefe da comissão do Conselho de Direitos Humanos da ONU, diz que a missão também tem como objetivo coletar "informações diretas e em primeira mão" sobre empresas privadas que ofereciam ajuda militar, consultoria e forças de segurança para o antigo regime de Kadafi, morto em outubro do ano passado.

Patel e outro especialista disseram nesta sexta-feira que ficarão quatro dias na Líbia, a convite do governo, que alega ter provas que ligam o filho de Kadafi, Seif al-Islam, à supervisão e estratégia para o recrutamento de mercenários que atuaram na guerra civil que levou ao fim do regime.

Em abril, o procurador do Tribunal Penal Internacional afirmou que a Líbia afirma também ter evidências de que o filho de Kadafi esteve por trás de execuções. As informações são da Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
Líbia mercenários investigação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.