Onze funcionários da ONU estariam entre os mortos na Argélia

Onze funcionários da Organizaçãodas Nações Unidas estariam entre os mortos por atentados comcarros-bomba contra prédios da ONU e outros edifícios nacapital da Argélia nesta terça-feira. Mais funcionários daentidade ainda estão desaparecidos, disse uma porta-voz da ONU. Pelo menos 26 pessoas foram mortas quando supostosmilitantes da Al Qaeda detonaram dois carros-bomba na capitaldo país, num dos mais violentos ataques desde as disputas civisna Argélia na década de 1990. A contagem oficial coloca o número de mortos em 26, mas umafonte do Ministério da Saúde disse que 67 pessoas foram mortasnos atentados. A rádio estatal argelina, monitorada pela BBC emLondres, disse que há entre os mortos três asiáticos, umdinamarquês e um senegalês. "Estamos agora colocando o número de mortos da ONU em 11",disse a porta-voz Marie Okabe. Um comunicado da ONU afirma que uma das duas explosõesdestruiu os escritórios do Programa das Nações Unidas para oDesenvolvimento e causou sérios danos nas instalações do AltoComissariado das Nações Unidas para Refugiados. O ataque trouxe à memória o atentado contra a ONU em Bagdáem 2003, que matou 22 pessoas, entre elas o chefe da missão nopaís, o brasileiro Sérgio Vieira de Mello. (Reportagem adicional de Stephanie Nebehay em Genebra, MarkTrevelyan em Londres e Claudia Parsons nas Nações Unidas)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.