Onze iraquianos são mortos durante confrontos em Bagdá

Três soldados, três policiais e cincoinsurgentes iraquianos morreram em confrontos na localidade de Al Mahmudiya, cerca de 30 quilômetros a sudoeste de Bagdá, informouneste sábado o comando americano no Iraque. Os combates deixaram 13 feridos e levaram à captura de 47 supostos rebeldes. Um comunicado oficial acrescentou que a ação aconteceu na sexta-feira e durou cerca de duas horas. As forças desegurança iraquianas apreenderam armas de diversos tipos e calibres. Al Mahmudiya, localizada no "triângulo da morte", região de maior atividade dos insurgentes, foi palco na última segunda-feira de vários ataques rebeldes, com mais de 40 mortos e dezenas de feridos. Na manhã deste sábado um civil morreu e dois militares americanos foram feridos nas explosões de três bombas numa estrada a leste da capital iraquiana, informaram fontes policiais. Assad Ali Yasein, presidente do conselho local da cidade de Samarra, escapou ileso de uma tentativa de assassinato com uma bomba. Um de seus próprios guarda-costas, que morreu na explosão, foi o responsável pelo atentado, informaram fontes policiais. O guarda-costas foi atingido por um de seus companheiros, que atirou quando ele tentava entrar na casa de Yassin e detonou os explosivos que levava junto ao corpo, informaram asfontes. Também foi ferido gravemente outro segurança do político. O primeiro-ministro iraquiano, Nouri al-Aliki, anunciou no início da semana que neste sábado começaria a aplicar o seu plano de reconciliação nacional, que tem como objetivo acabar com a violência no país.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.