Onze são hospitalizados após incêndio em metrô de Moscou

Um incêndio na hora do rush no metrô de Moscou nesta quarta-feira deixou vários feridos, forçando a retirada de milhares de passageiros e o fechamento de partes da rede, disseram autoridades. O Ministério de Emergências afirmou que 60 pessoas procuraram ajuda médica e 11 foram hospitalizadas. A maioria das internações foi devido à inalação de fumaça.

Agência Estado

05 de junho de 2013 | 12h18

O incêndio começou após um cabo de energia pegar fogo em um túnel que leva à estação Okhotny Ryad, adjacente à Praça Vermelha, afirmou o ministério em um comunicado. Os bombeiros apagaram o fogo, e as autoridades fecharam uma das linhas do metrô que cruza o centro de Moscou. Testemunhas disseram que as ruas do centro da cidade estavam cheias de pessoas que acabaram tendo de ir a pé para o trabalho.

O metrô retomou o serviço regular ao meio-dia (horário de Moscou), mas meia hora depois funcionários fecharam novamente parte da linha depois de terem encontrado um cabo com fumaça em outro túnel, junto à estação de Ryad Okhotny. O serviço foi retomado duas horas mais tarde.

O metrô de Moscou é um meio essencial de transporte, servindo até 7 milhões de pessoas por dia. Fechamentos de estações ou linhas são altamente incomuns para a rede, que tem a reputação de ser o mais confiável meio de transporte da cidade. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
RússiaincêndiometrôMoscou

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.