Opac: munição para armas químicas síria foi destruída

A Organização para a Proibição de Armas Químicas (Opaq) anunciou nesta sexta-feira que verificou a destruição de todas as munições não preenchidas da Síria, mais um marco no processo de erradicação do arsenal químico de Bashar Assad, que deve ser concluído até meados de 2014

Agência Estado

06 de dezembro de 2013 | 19h42

A Opaq disse em comunicado que seus especialistas na Síria também verificaram a destruição de parte dos prédios de instalações de produção desse tipo de armamento.

O grupo formado por especialistas da Organização das Nações Unidas (ONU) e da Opaq tem como objetivo remover os agentes químicos mais tóxicos da Síria até o final do ano, para que sejam destruídos no mar. Todo o arsenal deve esta aniquilado até meados de 2014.

Os Estados Unidos devem ter um papel importante na destruição dos agentes químicos mais tóxicos do arsenal sírio. Washington se ofereceu para fornecer uma embarcação com um artefato móvel no qual os químicos podem ser neutralizados. Nenhum agente químico ou resíduo será jogado no mar de acordo com o projeto da Opaq.

Mais de trinta empresas privadas também se ofereceram para destruir menos de 800 toneladas de materiais menos tóxicos que a Síria declarou à organização, sediada em Haia. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
Síriaarmas químicasOpaqmunição

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.