Opas incentiva vacinação contra gripe sazonal

A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) iniciou um esforço para garantir que todos os países do continente façam campanhas de vacinação contra a gripe sazonal. Embora não seja indicada para se proteger contra a gripe suína, ou influenza A (H1N1), a vacina pode facilitar autoridades sanitárias dos países do Hemisfério Sul na vigilância de casos suspeitos e, ao mesmo tempo, reduzir um risco potencial. O de que o vírus H1N1, em contato com o da gripe sazonal, sofra uma nova mutação.

LÍGIA FORMENTI, Agencia Estado

03 de maio de 2009 | 20h03

"Quanto menos pessoas contaminadas com o vírus sazonal, menor o risco de ocorrer uma coinfecção e uma mutação do H1N1", diz o gerente de Vigilância em Saúde, Prevenção e Controle de Doenças da Organização Pan-Americana de Saúde, Jarbas Barbosa. Além disso, quanto menor o número de casos de gripe sazonal, mais fácil será para autoridades sanitárias identificarem casos de contaminação por H1N1. Os sintomas são parecidos e, muitas vezes, somente testes laboratoriais podem fazer a distinção. "Quanto menor o grupo a ser analisado, maior a rapidez e melhores as condições de trabalho para a vigilância", completou o infectologista.

A preocupação com o Hemisfério Sul se explica. Nos próximos meses, começa o período tradicional do aumento do número de casos de gripe. "Há uma tendência de as pessoas ficarem em locais fechados, o que sempre amplia a possibilidade de contaminação pela influenza sazonal."

Atualmente, Bolívia, Suriname, Guiana, Haiti e algumas ilhas do Caribe, como Dominica, não realizam campanhas nacionais de vacinação contra a gripe. Diante desse quadro, a Opas iniciou um trabalho para mobilizar recursos e fornecer a esses países insumos para que a população seja imunizada. Outra preocupação da organização é com a baixa cobertura das campanhas, apresentada em alguns países. "Vamos orientar que cada governo avalie sua estratégia e, se necessário, aumente a cobertura da vacina."

Colômbia e El Salvador

A Opas acredita que haverá um aumento do número de casos confirmados de gripe suína no continente americano nos próximos dias. Até agora, na lista oficial da Organização Mundial de Saúde (OMS), os registros se restringem ao México, Estados Unidos, Canadá e Costa Rica. Mas a Opas recebeu hoje confirmação de dois casos em El Salvador e um na Colômbia. Para esses dois países, os testes foram feitos no Centro de Controle de Doenças (CDC), nos Estados Unidos.

Tudo o que sabemos sobre:
gripe suínavacinaOpas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.