Opas quer ampliar ação contra gripe comum

A Organização Pan-Americana de Saúde (Opas) iniciou esforço para garantir que todos os países do continente façam campanhas de vacinação contra a gripe sazonal comum. Embora não seja indicada para proteger contra o vírus H1N1, a vacina pode facilitar ações de vigilância sobre a gripe suína de autoridades sanitárias dos países do Hemisfério Sul. Além disso, reduziria o risco de o novo vírus, em contato com o da influenza sazonal, sofrer nova mutação.

AE, Agencia Estado

04 de maio de 2009 | 07h58

?Quanto menos pessoas contaminadas com o vírus sazonal, menor o risco de ocorrer uma coinfecção e uma mutação do H1N1?, garante o gerente de Vigilância em Saúde, Prevenção e Controle de Doenças da Organização Pan-Americana de Saúde, Jarbas Barbosa. Além disso, quanto menor o número de casos de gripe sazonal, mais fácil será para autoridades sanitárias identificar casos de contaminação por H1N1.

Os sintomas são parecidos e, muitas vezes, somente testes laboratoriais podem fazer a distinção. ?Quanto menor o grupo a ser analisado, maior a rapidez e melhores as condições de trabalho para a vigilância?, completou o infectologista. O Ministério da Saúde brasileiro, no entanto, adota atualmente política de vacinação contra a gripe sazonal apenas para idosos e a recomendação para que toda a população se vacine não consta da lista de medidas adotadas como prevenção à gripe suína. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tudo o que sabemos sobre:
gripe suínagripeOpas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.