"Opções estão na mesa" para a Coréia do Norte, diz Bush

O presidente dos EUA, George W. Bush, pressionou hoje a China a interceder para desarmar o impasse nuclear que envolve os Estados Unidos e a Coréia do Norte, e disse que ?todas as opções estão na mesa?. Bush repetiu que acredita que a situação ainda pode ser resolvida de forma pacífica, mas tornou a posição americana mais agressiva, ao levantar a sugestão do uso de um ataque militar. Os comentários do presidente americano vêm um dia depois de a Coréia ter avisado que qualquer ataque a suas instalações nucleares levaria à ?guerra total?. Preocupações em torno do programa nuclear norte-coreano acumularam-se nesta semana, quando o país asiático colocou suas instalações nucleares em ?situação normal?, depois de um congelamento de quase uma década. Isso poderia significar que a Coréia está se preparando para construir armas atômicas.Falando sobre o líder norte-coreano Kim Jong Il, Bush disse que ele precisa ?se adaptar às exigências do mundo?. O presidente dos EUA disse ter telefonado para o presidente da China, Jiang Zemin, na sexta-feira, e ?lembrei-lhe que temos uma responsabilidade comum de sustentar o objetivo ... de uma península livre de armas nucleares?.Bush afirmou ter tocado no mesmo assunto, recentemente, com os líderes do Japão e da Rússia. ?Continuaremos a trabalhar diplomaticamente para deixar bem claro para Kim Jong Il que, se ele espera algum tipo de ajuda para seu povo, ele deve obedecer às exigências mundiais de que não desenvolva armas nucleares?. No entanto, complementou, ?todas as opções estão na mesa?. Ao citar ?todas as opções?, o presidente americano lembrava a Coréia do Norte de que os EUA não descartaram o uso da força.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.