Opep apoiará manutenção de teto de produção

A Arábia Saudita e outros produtores de petróleo do Golfo Pérsico vão apoiar a manutenção do teto de produção para a Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) quando o grupo se reunir na quarta-feira, particularmente se outros integrantes concordarem com a medida, afirmaram funcionários de países do Golfo neste final de semana.

AE, Agência Estado

11 de dezembro de 2011 | 12h15

Isso pode ajudar a promover a paz no interior da Opep, depois de a reunião anterior ter terminado rispidamente em junho.

"A Arábia Saudita e os países do Golfo vão concordar com a manutenção se outros membros concordarem", disse uma autoridade da região. "Os preços estão bons e o mercado está equilibrado."

A Opep não altera seu teto de produção, de 24,845 milhões de barris diários, desde que reduziu suas cotas no final de 2008.

"Não é hora de fazer mudanças", disse outra autoridade do Golfo, acrescentando que a situação econômica da União Europeia e a produção da Líbia, Iraque e Irã continuam instáveis.

Líbia e Iraque estão elevando suas produção, interrompidas por confrontos civis. Já o Irã é ameaçado pelo embargo europeu, o que pode forçar o país a redirecionar suas exportações.

"Muito provavelmente, a Opep vai decidir não aumentar nem reduzir sua produção", disse a fonte.

Os integrantes da Organização, porém, elevaram suas produções além do teto, chegando a cerca de 30 milhões de barris por dia, dentre eles o Iraque, que não está sujeito a restrições de quotas de produção.

"Haverá discussões sobre a produção global de 30 milhões de barris, mas elas serão informais", afirmou a autoridade.

Mas, independentemente do resultado, os produtores do Golfo tentarão chegar a um consenso com outros membros como o Irã, com quem entraram em confronto em junho. "Nós realmente queremos chegar a um acordo desta vez", declarou a fonte. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Golfo PérsicoOpeppetróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.