'Operação Camaleão' resgata reféns da Farc na Colômbia

Entre os resgatados na ação militar comandada por Álvaro Uribe estão dois militares

Efe,

14 de junho de 2010 | 04h24

BOGOTÁ - A "Operação Camaleão", como foi batizada a ação militar pela qual foram resgatados no domingo, 13, na Colômbia três sequestrados em poder das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), se desenvolveu sob a direção do próprio presidente Álvaro Uribe durante seis meses.

Em entrevista coletiva, o ministro de Defesa colombiano, Gabriel Silva, explicou que a surpreendente operação foi integrada por 300 soldados das forças de segurança e que no lugar onde aconteceu havia 40 guerrilheiros.

O ministro insistiu na "perfeição" da missão porque não houve "risco para a vida dos sequestrados e sem baixas" entre as forças militares.

O resultado foi a libertação do general Luis Herlindio Mendieta, do coronel Enrique Murillo e do sargento Arbey Delgado, embora o exército procure na região o capitão William Donato Gómez, os quatro em poder das Farc desde 1998.

Gómez foi visto por seus companheiros resgatados fugindo durante a operação, reconheceu o ministro, insistindo em que o militar será encontrado "nas próximas horas".

"Foi também uma operação totalmente colombiana, por tropas e inteligência colombianas. Homens das forças especiais que durante semanas se arrastaram pelas selvas para chegar ali e dar este golpe contra o narcoterrorismo das Farc", acrescenta Silva.

Ao ser perguntado por maiores detalhes, Silva disse que "por razões de Estado" não podia compartilhar toda a informação porque seria colocar o inimigo em vantagem.

"Tratou-se de uma operação de alta precisão, de forma cirúrgica se chegou ao local", diz.

Além disso, Silva confirmou que era a Sétima Frente das Farc a que tinha em seu poder os quatro sequestrados. O ministro insistiu em que "a Segurança Democrática é o caminho correto para devolver a liberdade a todos os colombianos e isso evidência a alta moral da polícia e sua capacidade para realizar operações impecáveis, sem manchas e com pleno êxito".

Ele explicou que os três resgatados estão protegidos em algum lugar da selva por 300 homens e que nesta segunda-feira, 14, chegarão a Bogotá.

Por último disse, às claras, que a polícia colombiana "é a mais eficaz do continente e uma das mais eficazes do mundo", a uma semana do segundo turno das eleições presidenciais.

Neste sentido insiste em que "o governo do presidente Uribe foi magnânimo em múltiplos ocasiões, não fez mais que dar um gesto de abertura, mandar sinais de sua disposição para conseguir a libertação dos sequestrados".

Por isso exigiu das Farc "que soltem unilateralmente" os 19 reféns que a guerrilha considera passíveis de troca e que só está disposta a libertar em troca de guerrilheiros presos.

Veja a cronologia dos golpes mais contundentes dados nos últimos anos nas Farc:

- 26 de outubro de 2008: O ex-senador Óscar Tulio Lizcano, acompanhado de seu carcereiro, conhecido como "Isaza", foge do grupo guerrilheiro que o tinha sequestrado em 5 de agosto de 2000. Isto representou um duplo revés para a organização guerrilheira, já que perdeu um dos sequestrados que considerava passíveis de troca e um de seus homens os traiu.

- 2 de julho de 2008: A ex-candidata presidencial Ingrid Betancourt, três americanos e 11 soldados e policiais foram libertados pelo exército colombiano, no qual se constitui como o golpe mais importante dado nas Farc em sua história.

- 25 de maio de 2008: A cúpula das Farc confirma em um vídeo entregue ao canal internacional "Telesur" que Pedro Antonio Marín, conhecido como "Manuel Marulanda Vélez" ou "Tirofijo", fundador e máximo chefe dessa guerrilha, morreu no dia 26 de março de um enfarte. A notícia tinha sido anunciada pelo então ministro de Defesa e hoje candidato a presidente Juan Manuel Santos.

- 18 de maio de 2008: "Karina", apelido de Nelly Ávila Moreno, chefe da frente 47 e única mulher na história das Farc com cargo de comandante, se entregou na região de Antioquia a tropas militares e ao Departamento Administrativo de Segurança (DAS).

- 26 de março de 2008: Morre "Tirofijo", de 78 anos e considerado o guerrilheiro "mais velho do mundo", pelo qual o Governo colombiano oferecia uma recompensa de 5 bilhões de pesos (US$ 2,8 milhões).

- 7 de março de 2008: "Ivan Ríos", apelido de Manuel Jesús Muñoz ou José Juvenal Velandia, membro do comando central das Farc, é assassinado por seu chefe de segurança, Pedro Pablo Montoya Cortés("Rojas"), que entregou como prova ao exército a mão direita do rebelde e um computador.

- 1º de março de 2008: Em uma operação militar colombiana contra um acampamento das Farc no Equador morreram o "número dois" dessa guerrilha, Luis Edgar Devia, conhecido como "Raúl Reyes", e outras 25 pessoas.

- 25 de outubro de 2007: Gustavo Rueda Díaz ("Martín Caballero"), chefe das Farc no litoral do Caribe colombiano e que sequestrou o ex-chanceler Fernando Araújo, foi abatido por militares junto a outros 19 guerrilheiros na região dos Montes de María (norte). Este rebelde foi acusado de organizar um ataque fracassado em 2000 contra o então líder dos EUA, Bill Clinton.

- 1º de setembro de 2007: O guerrilheiro Tomás Medina Caracas, conhecido como "Negro Acacio", responsável pelo tráfico de drogas dentro das Farc e chefe da frente 16, morreu em um choque com o exército na região do Vichada.

- 15 de junho de 2007: Morre em combate Milton Sierra, líder da frente urbana Manuel Cepeda das Farc em Cali e que era acusado de participar da tomada da Assembleia de Valle del Cauca em 11 de abril de 2002, na qual sequestraram 12 deputados regionais, 11 dos quais foram assassinados em 18 de junho de 2007.

- 17 de fevereiro de 2006: Giovanny David Santamaría, conhecido como "Rubén" ou "Popeye", que participou do sequestro e morte do governador de Antioquia, Juan Guillermo Gaviria, e do ex-ministro da Defesa Gilberto Echeverri, morreu em um confronto com o exército.

- 15 de dezembro de 2004: Capturam na cidade de Ibagué (sudoeste) Erminso Cabrera Cuevas, conhecido como "Mincho", que atualmente está detido em uma prisão dos EUA e enfrenta um processo por narcotráfico.

- 10 de fevereiro de 2004: Nayibe Rojas Valderrama, conhecido como "Sonia" e que militou durante 14 anos nas Farc, é detida. Foi extraditada em 10 de março de 2005 para os EUA, onde cumpre pena de quase 17 anos de prisão por narcotráfico.

- 2 de janeiro de 2004: Ovidio Ricardo Palmeira Pineda ("Simón Trinidad"), membro do secretariado e chefe de finanças das Farc, é capturado em Quito (Equador). "Trinidad", extraditado aos EUA em 31 de dezembro de 2005, foi condenado nesse país a 60 anos de prisão por conspirar para o sequestro de três americanos.

Tudo o que sabemos sobre:
Colômbia, Uribe, Camaleão, resgate

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.