Jonathan Ernst / Reuters
Jonathan Ernst / Reuters

Operação da imigração dos EUA que visou 2,1 mil pessoas prende somente 35

Presidente Donald Trump descreveu a ação do final de semana de 13 de julho como 'muito bem-sucedida', embora a maior parte da atividade não seja visível ao público

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de julho de 2019 | 16h42

 Só 35 pessoas foram colocadas sob custódia durante uma operação das forças da lei dos Estados Unidos que foi cogitada durante bastante tempo e que visou mais de 2.100 imigrantes sujeitos a ordens de deportação, disse o chefe da Agência de Imigração e Alfândega dos EUA (ICE) nesta terça-feira.

O presidente Donald Trump descreveu a ação do final de semana de 13 de julho como “muito bem-sucedida”, embora a maior parte da atividade não seja visível ao público.

A operação foi marcada originalmente para junho em uma dúzia de grandes cidades norte-americanas e foi amplamente divulgada, o que provavelmente contribuiu para a taxa baixa de prisões, disse o diretor interino da ICE, Matthew Albence, em uma conversa por telefone com repórteres.

    Segundo ele, a operação visou indivíduos específicos que estavam violando a lei, e não batidas. " Garanto a vocês que, se estivéssemos realizando batidas e tivéssemos agentes correndo para todo o lado e apreendendo alvos indiscriminadamente, vocês teriam vídeos espalhados pelo YouTube”, disse.

    Quando a notícia sobre a possível operação da ICE veio à tona, grupos de direitos dos imigrantes circularam materiais em comunidades de imigrantes e ativistas locais alertaram as pessoas a não abrirem a porta a agentes sem um mandato.

Albence disse que algumas ações foram canceladas porque seus agentes estavam “sob vigilância”. / REUTERS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.