Operação da Otan matou 65 civis, diz governo afegão

Sessenta e cinco civis, incluindo 40 crianças, foram mortos em uma operação da Otan contra insurgentes no leste do Afeganistão neste mês, de acordo com uma investigação do governo afegão, divulgada hoje. Líderes tribais alegaram que dezenas de civis foram mortos na operação, realizada na província de Kunar, que envolveu ataques aéreos e de foguetes. A Otan não confirmou a morte de civis.

AE, Agência Estado

27 de fevereiro de 2011 | 12h47

O incidente inflamou as tensões entre o governo afegão e as forças da Otan. Ambos os lados iniciaram investigações. As mortes de civis têm aumentado nos últimos meses uma vez que os insurgentes parecem se importar cada vez menos com seus alvos, atacando bancos, supermercados e eventos esportivos. Pelo menos três ataques diferentes hoje, incluindo um contra espectadores em uma briga de cachorros ilegal, mataram nove civis afegãos e um membro da Otan, disseram autoridades.

A Otan afirmou que o vídeo com as operações em Kunar no dia 17 de fevereiro - principal evento dos mais de três dias de confronto - mostram que as tropas mataram dezenas de insurgentes, e não civis. Porém, a equipe afegã que investiga o incidente descobriu que 65 civis foram mortos, de acordo com Shahzada Masoud, um dos investigadores, após quatro dias de consultas a autoridades locais, moradores, hospitais e forças de segurança. O grupo apresentou hoje suas conclusões ao presidente Hamid Karzai. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.