REUTERS/Yaser Al-Khodor
REUTERS/Yaser Al-Khodor

Operação de artilharia turca e coalização internacional na Síria mata 18 militantes do EI

Segundo o Estado-maior da Turquia, 14 posições do Estado Islâmico teriam sido destruídas com 61 disparos

O Estado de S. Paulo

09 Junho 2016 | 12h32

ANCARA - O Exército da Turquia anunciou que 18 militantes do grupo terrorista Estado Islâmico (EI) morreram nesta quinta-feira, 9, em uma operação no norte da Síria realizada pela artilharia turca e pela aviação da coalizão internacional contra os jihadistas.

Os turcos destruíram 14 posições do EI com 61 disparos, indicou o Estado-Maior da Turquia em comunicado emitido em Ancara. Segundo as investigações iniciais, 18 extremistas morreram nesses ataques.

O Exército turco garantiu ainda que forças opositores sírias retomaram o controle de oito populações sírias, controladas até agora pelo EI. Por outro lado, o corredor entre as localidades de Maré e Azaz, no norte da Síria, que estava sob o comando dos jihadistas até agora, foi desbloqueado graças aos ataques da artilharia e da aviação, concluiu o Estado-Maior turco em nota.

Ajuda humanitária. A ONU recebeu do governo sírio a permissão inicial para levar ajuda às 19 localidades sitiadas militarmente na Síria, onde se estima que há cerca de 600 mil civis.

"Fomos informados por nossa equipe em Damasco que recebemos a permissão das autoridades para todas as áreas sitiadas durante junho", revelou o enviado especial da ONU para a Síria, Staffan de Mistura.

No entanto, ele pediu cautela ao lembrar que "aprovação não significa entrega" (da ajuda), já que em outras ocasiões a ONU recebeu permissões similares, mas acabou sendo bloqueada no último momento ou parte das provisões essenciais que transportavam foi descarregada dos caminhões. /EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.