Operação dos EUA em zona aérea chinesa é normal

O Pentágono informou nesta sexta-feira que as forças americanas continuam suas operações normais no espaço declarado por Pequim como zona de defesa, apesar de a China ter enviado jatos para monitorar o movimento aéreo dos EUA e Japão no local.

AE, Agência Estado

29 de novembro de 2013 | 16h30

O anuncio no último final de semana que o governo chinês alterou os limites de sua zona de identificação de defesa aérea para abranger ilhas disputadas pela China e Japão foi renegado por vários países e os EUA enviaram dois bombardeiros B-52 que voaram pela nova zona de defesa chinesa na segunda-feira.

Os EUA, Coreia do Sul, Japão e outros países acusaram Pequim de aumentar as tensões na região com a nova zona de defesa aérea. Segundo a agência de notícias Xinhua, as tensões podem aumentar após aviões terem sobrevoado o espaço. "Vamos manter a parceria com nossos aliados na região e operar normalmente", afirmou hoje o porta-voz do Pentágono, Erik Brine, sem acrescentar mais informações. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
EUAChinazona de defesa aérea

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.