Marinha Italiana/AP Photo
Marinha Italiana/AP Photo

Operação no Mar Mediterrâneo resgata 1,1 mil refugiados

Força-tarefa de ONG's e da Marinha Italiana organizam 11 patruhas para salvar imigrantes; UE prepara ação contra tráfico de pessoas

O Estado de S. Paulo

28 Setembro 2015 | 20h05

ROMA - Operações combinadas de ONG’s e da Guarda Costeira da Itália resgataram 1151 imigrantes nesta segunda-feira, 28, no Mar Mediterrâneo, próximo à costa da Líbia. Havia muitas mulheres e crianças entre os refugiados, que foram resgatados e levados por barcos da Marinha italiana para o continente. No total, foram realizadas 11 operações. 

Na maior delas, 441 refugiados que viajavam em botes de borracha foram resgatados por um navio da Guarda Costeira italiana. Os imigrantes foram levados a outro barco da Marinha italiana que, na véspera, resgatara outras 85 pessoas no mar. 

Em uma outra operação, uma embarcação da ONG Médicos Sem Fronteiras, resgatou outras 308 pessoas que tentavam cruzar o Mediterrâneo para chegar à Itália. A exemplo dos outros imigrantes, elas também foram levadas a navios da Marinha italiana. 

Iniciativa. Ainda ontem, a União Europeia anunciou que a partir da próxima semana buscará barcos suspeitos de tráfico humano em águas internacionais no Mar Mediterrâneo. 

Em comunicado assinado pela chefe de diplomacia da UE, a italiana Federica Mogherini, o bloco afirmou que a medida faz parte do plano para ampliar a assistência aos milhares de refugiados que chegam ao continente fugindo de conflitos no Norte da África e no Oriente Médio. Milhares deles têm se lançado ao mar na tentativa de chegar principalmente à Grécia e à Itália. 

“A Operação Sophia permitirá às marinhas dos países da UE buscar, apreender e afugentar embarcações suspeitas de serem usadas para tráfico de pessoas em alto-mar”, diz o texto. “Agora, as operações navais da UE passam da etapa de planejamento para a fase ativa do combate ao tráfico de pessoas.”/ EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.