Operação para deter líder rebelde no Timor deixa 4 mortos

O presidente do Timor Leste, Xanana Gusmão, confirmou neste domingo, 4, que quatro pessoas morreram durante uma operação das forças australianas para deter o militar rebelde Alfredo Reinado, que conseguiu fugir.Gusmão, que não identificou as vítimas, disse que o fatoaconteceu durante a noite, quando forças especiais australianas entraram no povoado de Same, 50 quilômetros ao sul de Díli, onde Reinado estava escondido."As forças de segurança internacional vão continuar buscando o paradeiro de Reinado", disse Gusmão.Outras fontes asseguram que os quatro mortos eram homens deReinado, que cobriram sua fuga respondendo ao fogo dos australianos.Ao falar com a imprensa em Díli, Gusmão pediu a Reinado que se renda. Nesta semana, ele ordenou às forças internacionais e da ONU presentes no Timor que iniciassem uma operação para sua captura.A ordem aconteceu um dia depois de Reinado e seus homens atacarem diversos postos policiais na fronteira com a Indonésia e levarem aproximadamente 20 armas de fogo.Após o ataque, a Indonésia fechou sua fronteira com a ex-colônia portuguesa, a pedido do governo do Timor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.