Operários hondurenhos morrem soterrados por grãos de café

Seis operários morreram soterrados por grãos de café após o desmoronamento de uma parede num armazém no norte de Honduras, informaram as autoridades.O chefe do Corpo de Bombeiros de San Pedro Sula, Danilo Flores, disse aos jornalistas que o acidente deixou um saldo de seis mortos e três feridos, um dos quais voltou ao trabalho no mesmo dia.Os mortos foram identificados como Mario Rosales, de 17 anos, Julián López, Wilmer Ríos, Oscar Guzmán, Miguel Ángel Quintero e Juan Ángel Ponce.Cerca de 40 bombeiros, 30 militares e 30 voluntários participaram dos trabalhos de resgate dos corpos, que duraram nove horas, indicou Flores.A tragédia ocorreu num estabelecimento da Companhia Hondurenha do Café (Honducafe), entre San Pedro Sula e Villanueva, no norte do país. Alguns empregados, que não foram identificados, denunciaram há vários dias que a parede que caiu estava rachada, mas os executivosda empresa ignoraram a queixa.O relatório preliminar do Corpo de Bombeiros diz que o armazém apresentava deficiências em seu sistema de ventilação.O advogado da empresa, Víctor Perelló, disse aos jornalistas em San Pedro Sula que as morte foram "um acidente de trabalho", que as vítimas eram trabalhadores temporários e que a companhia "assumirá suas responsabilidades".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.