Operários retomam trabalho para conectar reator 3 de Fukushima à eletricidade

Trabalhos foram suspensos após ter sido detectada uma fumaça cinza saindo da unidade

Efe,

23 de março de 2011 | 23h44

TÓQUIO - Os operários da usina nuclear de Fukushima Daiichi retomaram na quinta-feira, 24, os trabalhos para instalar a eletricidade e iniciar o sistema de refrigeração no reator 3, informou a Tokyo Electric Power (Tepco).

 

Os trabalhos foram suspensos na tarde de quarta-feira, 23, após ter sido detectada uma fumaça cinza que saía da unidade 3, a única das seis da central que usa como combustível uma perigosa mistura de urânio e plutônio.

Veja também:

blog Twitter: Siga a correspondente Cláudia Trevisan, que está no Japão

especial Infográfico: Entenda o terremoto maiores tragédias dos últimos 50 anos

especial Especial: A crise nuclear japonesa

documento Relatos: envie textos, vídeos e fotos para portal@grupoestado.com.br

som Território Eldorado: Ouça relato do embaixador e de brasileiros no Japão

blog Arquivo Estado: Terremoto devastou Kobe em 1995

Segundo a Tepco, na manhã de quinta-feira a fumaça já não era visível, por isso foram retomados os trabalhos para ligar a eletricidade aos sistemas do reator e das bombas que refrigeram o núcleo e a piscina que contém o combustível usado.

 

Os engenheiros desconhecem o motivo da fumaça escura, mas não foi detectado fogo ou um aumento nos níveis de radiação.

 

No entanto, a televisão NHK mostrou imagens do começo da manhã de quinta-feira nas quais era possível ver colunas de fumaça branca, aparentemente vapor, saindo dos reatores 1, 2, 3 e 4.

 

Esta é a primeira vez que vapor branco sai da unidade 1, que sofreu uma explosão de hidrogênio um dia depois do terremoto do dia 11 que afetou os sistemas que estabilizam a central.

 

Nesta quarta-feira, a temperatura do reator 1 subiu bastante, mas por enquanto não foi detectado uma piora da situação, que parece mais estável graças aos trabalhos de injeção de água e à chegada dos cabos de eletricidade aos 6 reatores.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.