Oposição a Chávez protesta não pagando impostos

Dezenas de milhares de venezuelanos marcharam em passeata em direção à agência federal de impostos (Seniat) para mostrar sua intenção de parar de pagar impostos - decisão que é parte de uma greve de um mês contra o presidente Hugo Chávez, movimento que prejudicou seriamente as exportações de petróleo, a principal fonte de renda do governo. Chávez advertiu que a evasão de impostos é punida com sete anos de prisão."Não pagar impostos é crime", disse ele em discurso transmitido por todas as emissoras de rádio e TV, por determinação do governo. A transmissão do discurso interrompeu a cobertura do protesto."Não vamos tolerar isso. Tomaremos todas as atitudes necessárias para termos certeza de que cada centavo seja pago, porque pertence ao povo", declarou Chávez.Os manifestantes gritaram e assopraram apitos enquanto rasgavam formulários de impostos em branco em frente à entrada da agência. Eles conclamam as pessoas físicas e jurídicas a parar de pagar impostos e ICMS. Soldados da Guarda Nacional e policiais faziam a segurança das vizinhanças do prédio da agência, mas não houve prisões. A passeata foi o primeiro protesto da oposição na capital, desde que os confrontos entre Chávez, seus inimigos, os que o apóiam e as forças de segurança deixaram dois mortos e 78 feridos, na semana passada. "Esse governo usa o nosso dinheiro para reprimir as pessoas. Não vamos mais dar um centavo para Hugo Chávez", disse Luis Carlos Bustillos, um veterinário de 59 anos. "Isso vai provocar caos por alguns meses, mas é melhor do que caos para sempre."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.