Oposição aceita vitória do governo em eleição na Angola

Unita reconhece que MPLA tem 82% dos votos na votação parlamentar realizada na semana passada

Agências internacionais,

09 de setembro de 2008 | 08h24

O partido de oposição União Nacional para a Independência Total de Angola (Unita) aceitou a vitória do governamental Movimento Popular para a Libertação de Angola (MPLA) nas eleições da semana passada, o que não fez no pleito de 1992, após os quais a guerra civil durou mais dez anos. A agência local Angop informou nesta terça-feira, 9, que o líder opositor Isaías Samakuva disse que "a direção da Unita aceita os resultados das eleições", nas quais, com 90% dos votos apurados, o MPLA conseguiu cerca de 82% do apoio, segundo a Comissão Nacional Eleitoral (CNE). Embora tenha lembrado os graves erros na organização do pleito, que levou a abrir um segundo dia de votação em 6 de setembro, Samakuva felicitou o MPLA e afirmou que "espera que o partido vencedor governe em benefício de todos os angolanos". A Unita tinha apresentado uma impugnação ao pleito em Luanda diante da CNE, que considerou improcedente o pedido. A atitude de Samakuva é muito diferente da tomada em 1992 pelo então líder da Unita, Jonas Savimbi, que rejeitou os resultados do pleito legislativo realizado naquele ano e prolongou por uma década a guerra civil no país, até sua morte em combate, em 2002. Segundo a BBC, os resultados desta eleição devem ser divulgados em, no máximo, 15 dias. O pleito está sendo encarado como um "ensaio" para as eleições presidenciais, previstas para 2009.

Tudo o que sabemos sobre:
Angolaeleições

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.