EFE/MIGUEL GUTIERREZ
EFE/MIGUEL GUTIERREZ

Oposição acusa chavismo de proibir seus líderes de viajar de avião

Ex-presidente da Assembleia Nacional diz que nove membros da MUD não podem comprar passagens internas por determinação do governo

O Estado de S.Paulo

26 Maio 2017 | 15h28

CARACAS - O ex-presidente da Assembleia Nacional da Venezuela, o opositor Henry Ramos Allup acusou na quinta-feira, 25, o governo chavista de vetar a venda de passagens aéreas nacionais à líderes da coalizão opositora Mesa de Unidade Democrática (MUD). Segundo ele, a determinação veio do Instituto Nacional de Aeronáutica Civil (Inac). 

Segundo Ramos Allup, estão proibidos de viajar, além dele mesmo, os deputados Freddy Guevara, Gaby Arellano, Luis Florido, José Manuel Olivares e Ismael Garcia, o governador de Miranda Henrique Capriles, o prefeito de El Hatillo David Smolanski e a ex-deputada Maria Corina Machado. 

Na terça-feira, Maria Corina foi impedida de embarcar em um avião, segunda a sua assessoria. O líder opositor diz que a medida vale tanto para as companhias aéreas controladas pelo governo quanto as privadas. 

No dia 18, Capriles disse que seu passaporte foi apreendido por funcionários de imigração no Aeroporto de Caracas, de onde viajaria para Nova York para uma reunião com o Alto-Comissariado da ONU para direitos humanos. 

Os passaportes dos deputados Luis Florido e Williams Dávila, membros da Comissão de Relações Exteriores da Assembleia Nacional, também foram confiscados. / EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.