Oposição acusa governo de fraude eleitoral no Afeganistão

Ex-chanceler, principal rival do presidente Hamid Karzai, diz que comissões estão sendo pressionadas

Agência Estado

26 de novembro de 2010 | 09h25

CABUL - O principal líder oposicionista do Afeganistão, Abdullah Abdullah, acusou nesta sexta-feira 26, o governo de usar o sistema judiciário do país para manipular os resultados das eleições parlamentares de setembro.

 

O procurador-geral do país abriu um processo criminal por causa dos resultados, prendendo nove pessoas e questionando funcionários eleitorais, que devem responder por acusações de fraude.

 

A disputa eleitoral parece ter enfraquecido a base de apoio do presidente Hamid Karzai. "O governo queria anular a eleição e como isso falhou está usando o escritório do promotor-geral para pressionar as comissões eleitorais", disse Abdullah, que já foi ministro das Relações Exteriores.

 

"É outro esforço deles para fazer tudo do jeito que querem. É basicamente uma guerra de propaganda do governo contra a eleição", disse ele. Segundo Abdullah, a procuradoria-geral do país não é independente nem confiável.

 

Abdullah foi o principal adversário de Karzai na disputa presidencial do ano passado. Houve várias acusações de fraudes generalizadas nas últimas eleições do país. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Afeganistãofraudegoverno

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.