Oposição apoia ElBaradei como negociador ante o governo do Egito

Líder teria dito para Mubarak deixar o poder ainda neste domingo e 'salvar o país'

Reuters

30 de janeiro de 2011 | 12h20

 

CAIRO - A forças de oposição do Egito concordaram em apoiar Mohamed ElBaradei como negociador ante o governo do presidente Hosni Mubarak, informou neste domingo, 30, um líder da Irmandade Muçulmana.

 

Veja também:

especialInfográfico:  A revolução que abalou o mundo árabe

blog Tempo Real:  Chacra acompanha a situação no Egito

 

"Os grupos políticos apoiam ElBaradei para negociar com o regime", disse Essam el-Eryan à rede de televisão Al-Jazira. A Irmandade Muçulmana é a principal força política de oposição no Egito, enquanto ElBaradei é a mais proeminente figura pró-democracia do país.

 

ElBaradei, ex-chefe da Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) e Nobel da Paz, voltou ao Egito na quinta-feira para participar dos protestos que começaram na terça-feira contra o regime de Mubarak, que já dura quase 30 anos.

 

Segundo o canal CNN, ElBaradei teria dito para Mubarak deixar o país ainda neste domingo e "salvar a nação". "O país está entrando em colapso. O Egito está entrando em um período de transição, e um governo de unidade nacional é necessário para preencher o vazio e realizar eleições livres e justas", disse.

 Antes, o opositor já havia dito que lideraria o Egito no governo de transição se fosse solicitado.

 

Os distúrbios, batizados de "Dia da Fúria" por alguns ativistas na internet, foram inspirados na "Revolução do Jasmim", que derrubou o presidente da Tunísia, Zine El Abidine Ben Ali, há duas semanas. No Iêmen e na Jordânia também foram registradas manifestações.

Tudo o que sabemos sobre:
EgitoprotestosMubarak

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.